domingo, 4 de abril de 2010

Gratidão ao pastor e amigo Rev. Naor Garcia

Ser pastoreado por um/a homem/mulher vocacionado/a não tem preço...

Ao pensar no corpo pastoral contemporâneo é possível constatar que a aridez ministerial e o descompromisso ganham cada vez mais espaço. Vários/as pastores/as sucumbem àquelas tentações outrora sofridas por Jesus (Mt 4,1-11), isto é, transformar Deus num capacho e/ou “gênio da lâmpada”, alcançar poder, riqueza e fama em prejuízo do Evangelho, e colocar-se acima de Deus.

O círculo pastoral cada vez mais é invadido por idéias megalomaníacas. Dentre estas ressalto a gana por alcançar multidões a qualquer custo e fazer da Igreja uma Empresa Multinacional ávida por expandir-se economicamente e obter mais clientes - distorcendo a vocação de estar ao lado do “rebanho” para acompanhar, ensinar a pensar, animar nas horas de dor, incentivar a prosseguir, dentre outras coisas próprias de quem anda com Cristo.

Certamente há bons exemplos de pessoas que servem outras pastoralmente e que preferem ser fiéis a Jesus Cristo a cultuar os atuais modelos de “messias guerreiros, poderosos, famosos, sanguinários, impessoais, aprisionados em instituições religiosas distantes de Deus e desligadas do Amor que salva, restaura e constrói”.

É importante que nós não nos desesperancemos por conta das ausências pastorais, antes enfatizemos que existiram, existem e irão existir pastores/as fíéis a Deus e que, mesmo limitados/as por sua humanidade, se esforçam em serem discípulos/as de Jesus.

Durante oito anos eu freqüentei a Igreja Presbiteriana do Brasil na cidade de São Carlos. Ali eu conheci muita gente boa e pastores comprometidos. Eu fui pastoreado, durante seis anos, por um homem extraordinário, sensível, companheiro, íntegro e sincero chamado Rev. Naor Garcia (veja a foto do pastor com sua esposa Selva Garcia acima). A minha vida foi marcada pelo seu pastorado. Isto somente se deu porque, acima da Instituição Religiosa à qual estava integrado, ele era discípulo de Cristo. Eis aí a grande diferença.

Ao Rev. Naor Garcia e a todos/as os/as pastores/as que exercem o ministério humildemente por amor a Jesus Cristo dedico o meu carinho, oração e respeito.

Graça, paz e bem!

4 comentários:

Cassiano disse...

Assino em baixo, irmão! Gratidão, eita palavrinha esquecida.

Apóstolo Ladislau Nunes disse...

Paz!

Gostaria que seguisse o meu site www.apostoloquatroevangelhos.blogspot.com e participasse dos respectivos comentarios.

Apóstolo Ladislau Nunes

Iara disse...

Edemir, obrigada pela sua mensagem referente ao meu sogro. Ele realmente é um pastor. Ele cuida de suas ovelhas e as carrega nos ombros quando precisam. E sem dúvida, é possível ver e sentir seu profundo amor por Jesus Cristo, sua entrega ao nosso Deus. Dona Selva segue ao lado, quando a coisa fica difícl, os dois sabem com quem caminhar e quando tudo vai bem, os dois sabem a quem louvar.
E os dois oram diariamente pela família e "ovelhas".

Que bom que nosso Deus coloca pessoas assim nas nossas vidas, é mais um motivo de louvor, não acha?

CHICCO SAL disse...

Edemir,

Tive o prazer de conhecer o Rev.Naor ainda nos primórdios nos anos 70 quando ele estava bastante envolvido com a Aliança Bíblica Universitária. Estive algumas vezes em São Carlos naquela época participando de trabalhos e acampamento da igreja. O Rev.Naor é um dos pastores que serviram de modelo para ao meu ministério por seu carinho, bom humor, presença amiga. Certamente, ele tem influenciado muitos e muitos jovens e só a eternidade mostrará quantos. Deus seja louvado pela vida deste verdadeiro servo!