quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

“Crentes” desequilibrados & Discípulos cansados





Nos últimos tempos eu tenho conversado com pessoas que tem algumas coisas em comum, a saber, elas amam a Deus, querem se relacionar com mais irmãos(ãs) e estão cansadas do infantilismo de muitos(as) que compõe a “igreja”. As reclamações são sempre as mesmas: “crentes” que cedem a politicagem a fim de serem vistos e exercerem cargos de liderança na “igreja”, “crentes” traindo “crentes” e discípulos(as) de Cristo, “crentes” melindrosos(as), “crentes” hábeis em distorcerem o Evangelho procedendo com legalismo, moralismo e ritualismo, também como “crentes” movidos pelo racionalismo ou o emocionalismo.

Eu não tiro a razão dos(as) irmãos(ãs) enfastiados(as) com os jogos de poder, as “puxadas de tapete”, as intermináveis brigas em torno da cor da tinta que deverá ser pintada a parede do templo, as deslealdades, a intolerância com aqueles(as) que tem gostos diferentes, a fixação idolátrica e fetichista do sexo somada a culpa e medo. O meu estômago também embrulha só de pensar nestas práticas diabólicas exercidas constantemente por “crentes” de todas as idades, raças e classes sociais que se escondem atrás de uma máscara farisaica de “piedade” e “nobreza espiritual”.

Diante deste quadro é preciso fazer algumas pontuações: 1) Os(As) discípulos(as) não enveredam pelas ações tortuosas supraditas, logo estes “crentes” amantes de tais diabruras ainda não são seguidores(as) de Cristo; 2) O/A discípulo(a) sujeita-se ao Evangelho, já os/as “crentes” não abrem mão do “seu ponto de vista” e distorcem o Evangelho a seu bel prazer; 3) O/A discípulo/a se reúne com a igreja para crescer, aprender, ensinar, desenvolver amizades saudáveis, criar sua família, mas o/a “crente” procura o convívio para aparecer, encrencar, levar vantagem, subjugar etc.

Aos(Às) amigos(as) cansados(as) com aquilo que foi mencionado eu lhes propus convites: não se aborreçam com os(as) "crentes" clérigos(as) ou leigos(as), pois eles(as) ainda não são discípulos(as) de Cristo; entendam-se como pecadores(as), limitados(as) e frágeis; esforcem-se por se parecerem com o Senhor; não se achem melhores ou piores do que ninguém; lutem contra a tendência de querer deixar tudo de lado; busquem se achegar a outros(as) irmãos(ãs); e orem por este que lhes aconselha, porque a cada dia sou tentado a sucumbir ao cansaço decorrente das posturas sujas desses(as) “crentes”.

“A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei.” Romanos 13.8

Graça, paz e bem!

Um comentário:

Antonio Batalha disse...

É bom encontrar postagens que se possa ler e meditar, é bom encontrar irmãos que se esforçam para se manterem íntegros, que se afastam do pecado, e o desmascaram. É bom encontrar irmãos que amam mais a Jesus do que a posição que ocupam. É bom encontrar irmãos que se alegram na verdade e falam dela como uma forma de vida, Isto alegra o coração de Deus, e traz verdadeira recompensa. A pessoas assim deixo um abraço em Cristo Jesus, e que a paz e a graça de Jesus sature o seu coração.