quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Saquear o inferno: que negócio é esse?



Na década de 1990 eu ouvi pela primeira vez  que a igreja fora chamada para “saquear o inferno” de uma mulher especializada em demônios, quebras de maldições, libertação, detecção de símbolos e sons diabólicos, visitas ao inferno e ao céu, etc. Logo pensei (sem dizer nada depois) que lhe faltava ter um encontro com Jesus, conhecer a Palavra e experimentar uma vida de santidade profunda. Há situações que a nossa única tarefa é orar.
 

Esse jargão “saquear o inferno” tornou-se moda em seguida. Especialmente com o uso por parte de um casal que iniciara um trabalho de anúncio do Evangelho numa igreja voltada para adolescentes e jovens. Como esta comunidade evangélica tinha muito poder, marketing e dinheiro a frase foi amplamente divulgada. Porém, com o passar dos meses a expressão caiu em desuso.


Recentemente, com o anseio de revitalizar a prática da evangelização e do testemunho cristão muitas igrejas retomaram a ridícula frase antibíblica. Primeiramente é preciso destacar que os(as) discípulos(as) de Jesus Cristo nunca receberam a ordem para saquear o inferno. Se o inferno é um lugar destinado futuramente a algumas pessoas, nada há nesse espaço para saquear hoje.
 

O máximo que podemos afirmar é que os indivíduos que habitarão o inferno passarão pela avaliação de Deus. Trata-se, por conseguinte, de uma ação exclusiva do Senhor. Nenhum(a) homem(mulher) tem autorização para por ou tirar nada do inferno (mesmo porque não há dados do que tem lá). O inferno, na perspectiva de Jesus, é um lugar para quem se apartou de Deus. Todavia, em nenhum lugar das Escrituras Ele comentou sobre alguém (com nome, CPF e RG) que lá estivesse.
 


O Senhor deu, por exemplo, algumas orientações tais como: “ser sal da terra e luz do mundo”, “pregar o Evangelho a toda criatura”, “amar a Deus e ao semelhante”. Então, declarar que “saquear o inferno” se assemelha a promover a salvação das pessoas é um verdadeiro absurdo em perspectiva cristã. Quem tem o controle sobre tudo é o Senhor e mais ninguém.

 
Contemplar homens e mulheres se entregando a Jesus Cristo é algo maravilhoso. Abençoar a sociedade com as sementes do Reino é digno. Irrigar os relacionamentos com o amor de Deus é correto. Nada disso se compara a saquear (roubar) o inferno. Saquear é roubo e, consequentemente, um erro. Como posso saquear alguma coisa de um lugar sem ter uma ideia mínima do que obterei?
 
Vamos compartilhar o amor de Deus. Vamos declarar que Jesus Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida. Vamos deixar de lado este negócio de “saquear o inferno”. Façamos aquilo que está ao nosso alcance sem querer agir como se fossemos o Senhor do Universo.
 
Graça, paz e bem!

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens , e falando daquilo que Deus tem feito em sua vida, que a graça e a paz de Jesus continue a ser derramada em sua vida, e o fogo do Espirito Santo continue a usar sua vida.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa dar com seu blog.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

helcio coelho disse...

MUITO BOM ESSE TEXTO, CONCORDO TOTALMENTE.