sexta-feira, 30 de maio de 2014

Nossas referências


Como cristãos(ãs) estamos certos(as) que Jesus Cristo é o nosso Senhor, Salvador, enfim a Palavra Viva. No entanto, uma pergunta deve ser feita: Quais são as pessoas que caminham com Cristo hoje e que são nossas referências? Esta questão não tem a pretensão de identificar quais são nossos “ídolos”, mas, sim, sinalizar quem são as pessoas vivas na atualidade, fiéis a Deus, que atuam missionariamente com empenho e fervor sob a graça, o poder e a misericórdia do Senhor. Quem, portanto, são as referências no interior eclesial nas áreas teológica, educacional, pastoral, litúrgica, dentre outras? Por outro lado, quem são as referências cristãs fora do ambiente eclesial nos âmbitos acadêmico, científico, político, laboral, econômico etc? Não sei quanto a vocês, mas eu tenho condições de citar pouquíssimas pessoas. Se nós fizermos uma análise e constatarmos que se trata de pouca gente, então está na hora de pensar sobre o tipo de seguimento de Jesus que estamos realizando, qual a formação cristã que estamos oferecendo e o modelo de espiritualidade cristã que estamos fomentando.

 

Graça, paz e bem!

2 comentários:

Elberto Mello disse...

Esta reflexão é muito devida e importantíssima para quem se diz não apenas ser "cristão", mas principalmente, ser "discípulo de Cristo". Esta é uma "classe" que está em falta no "mercado" mundial, a começar pela liderança cristã, deficiente em bons exemplos dentro e fora de casa, e propagadora de um evangelho que não é o Evangelho do Senhor Jesus. Eu apoiarei dentro das igrejas um movimento de "revolução evolutiva" onde líderes que pensam como o Professor e Pastor Edemir Antunes Filho começassem um despertar cristão através de Encontros de lideranças sinceras e posteriormente através de Congressos para se apresentar suas situações e começar as mudanças tão necessárias. Se continuarmos como estamos hoje não falta muito para que o evangelho pregado em nome do Senhor Jesus seja excomungado e odiado pelos que o ouvem, visto o exemplo péssimo dado pelos que o praticam e pregam. Que o diga a Europa, a America do Norte e daqui a pouco o Brasil...

Elberto Mello disse...

O próprio pastor Edemir poderia dar um start para um movimento de conscientização em escala maior. Compreendo que muitos pastores e ministros do evangelho discursam somente influenciados pelo meio ambiente social-mundial e não por terem refletido com seriedade sobre a verdadeira postura e fidelidade do discípulo de Jesus. Mil passos começam com o primeiro. O início não precisa ser "grandioso" nem ter "poderosos" no meio para dar certo. Se for um movimento inspirado pela ação do Espírito Santo, por que não?